Segundo Giddens, globalização é a intensificação de relações sociais mundiais que unem localidades distantes de tal modo que os acontecimentos locais são condicionados por eventos que acontecem a muitas milhas de distância e vice-versa
Sábado, 26 de Julho de 2008
Globalização económica e o neoliberalismo

Globalização económica e o neoliberalismo

Na década de oitenta falou-se da emergência de uma nova divisão internacional de trabalho, baseada na globalização da produção da produção levada a cabo pelas empresas multinacionais, gradualmente convertidas em actores centrais da nova economia mundial.

Os traços principais desta nova economia mundial são as seguintes:

·    economia dominada pelo sistema financeiro e pelo investimento à escala global;

·    processos de produção flexíveis e multilocais;

·    baixos custos de transporte;

·    revolução nas tecnologias de informação e de comunicação;

·    desregulamentação das economias nacionais;

·      preeminência das agências financeiras multilaterais;

·    emergência de três grandes capitalismos transnacionais: 

O americano, baseado nos EUA e nas relações privilegiadas deste pais com o Canadá, o México e a América Latina.

O japonês baseado no Japão e nas suas relações privilegiadas com os quatro pequenos tigres e com o resto da Ásia.

O europeu baseado na União Europeia e nas suas relações privilegiadas desta com a Europa de Leste e com o Norte de África;

As implicações destas transformações para as políticas económicas nacionais podem ser resumidas nas seguintes orientações ou exigências:

·    as economias nacionais devem abrir-se ao mercado mundial

·    os preços locais devem tendencialmente adequar-se aos preços internacionais;

·    deve ser dada prioridade à economia de exportação;

·    as politicas monetária e fiscais devem ser orientadas para a redução da inflação e da dívida pública e para a vigilância da balança de pagamentos;

·    os direitos de propriedade privada devem ser claros e invioláveis;

·    o sector empresarial do Estado deve ser privatizado;

·    a tomada de decisões privadas apoiada por preços estáveis, deve ditar os padrões nacionais de especialização;

·    a mobilidade dos recursos dos investimentos e dos lucros, a regulamentação estatal da economia deve ser mínima;

·    deve reduzir-se o peso das politicas sociais no orçamento do Estado, reduzindo o montante das transferências sociais, eliminando a sua universalidade e transformando-as em meras medidas compensatórias em relação aos estratos sociais inequivocamente vulnerabilizados pela actuação do mercado;

Em suma , a globalização económica é sustentada pelo consenso neoliberal cujas 3 principais inovações institucionais são:

restrições drásticas à regulação estatal da economia, novos direitos de propriedade internacional para investigadores estrangeiros inventores e criadores de inovações susceptiveis de serem objecto de propriedade intelectual, subordinação dos Estados nacionais às agências multilaterais tais como o Banco Mundial, o fundo Monetário Internacional, a Organização Mundial do Comércio e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo .

São os países periféricos e semiperifericos os que vão estar mais sujeitos às imposições do receituário neoliberal, uma vez que este é transformado pelas agências financeiras multilaterais em condições para a renegociação da dívida externa através dos programas de ajustamento estrutural.

 

Fonte: Santos, Boaventura de Sousa



publicado por denvolvimentoregionalelocal às 22:41
link do post | comentar | favorito
|

Globalização

Posts Globalização

Home

Globalização Política e o...

A natureza das globalizaç...

Globalização económica e ...

Globalização hegemónica e...

Globalização social e as ...

Globalização cultural ou ...

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25

27
29
30
31


pesquisar
 
arquivos

Julho 2008

Fazer olhinhos
subscrever feeds